Tiragem em quadrado

Tiragem em quadrado

Escrevo este texto na “entrada” do nosso querido mercurio retrógrado, iniciando o momento ideal para umas conversas internas! E para mim o tarot é isso mesmo, um tema de estudo interno, por isso o momento vem mesmo a calhar!

Partilho portanto uma tiragem que tenho usado bastante, a título pessoal e também em consulta, tiragem em quadrado.

Poderás limpar e consagrar o teu baralho, seja qual for o teu ritual. Depois de mentalizar a tua questão ou situação actual, deverás partir o baralho em dois, voltando a juntar tudo na ordem oposta (o monte que estava por baixo ficará por cima). Agora sim, divides de forma intuitiva o baralho em três montes, de onde vais retirar as primeiras três cartas de cada monte, formando três colunas.

Ficarás com três colunas e três linhas, tal como na imagem. A minha interpretação pessoal é a seguinte:

Colunas:

Na primeira coluna da esquerda está tudo o que diz respeito a questões passadas, sendo que como passado eu considero tudo o que aconteceu até ao momento da tiragem das cartas.

Na segunda coluna terás todas as cartas que te vão colocar as questões do presente. Que preciso rever, repensar, ou analisar hoje, agora.

Na terceira coluna, da direita terás as projeções ao futuro. Todas as questões que devemos colocar aos nossos planos futuros, aos nossos ideais ou sonhos.

Linhas:

A primeira linha, a superior, tens todas as cartas relacionadas com o teu plano mental, os processos conscientes que precisam de destaque ou análise maior. A mente é um dos nossos maiores motores para mudar a vida à nossa volta, é por isso vital entender o que estamos a “pedir” ao universo.

A segunda linha vai mostrar os nossos processos emocionais. As nossas emoções mexem com os estados hormonais, a nossa disposição e interferem muito com a visão clara e objectiva da mente e das ideias.

Na terceira linha, a inferior, temos o plano da acção, do movimento, da concretização. Será que estamos fisicamente a construir o que desejamos? Ou será que as acções não estão sincronizadas com tudo o resto? Nesta linha poderás analisar todas estas questões.

Estás linhas e colunas podem ter interpretações cruzadas, entre os vários “motores” e o factor temporal do passado ao futuro.

Permite espaço e tempo para as mensagens chegarem, e que cada carta te permita questionar de forma mais objetiva o teu interior. Alguma dúvida, ou partilha, deixa um comentário em baixo!

Boas introspecções!

Tarot de bolso

Tarot de bolso

O Tarot é algo que me fascina há muitos anos, pelo misticismo e beleza que o envolve, mas também por aquilo que cada pessoa vê em cada uma das cartas. Como qualquer peça artística, há detalhes que só alguns olhos vão estar treinados a ver, e haverá detalhes para cada um de nós, essa é a beleza de um arquétipo, um grande conjunto de detalhes que se relacionam entre si revelando uma mensagem.

Existem múltiplas formas de “ler” o tarot. Umas das mais enraizadas na tradição oral fala de figuras exóticas que lançam cartas prevendo a fortuna ou a desgraça dos seus clientes. Estas cartomantes foram ao longo dos anos criando métodos de tiragem específicos para prever o futuro. Mas lado a lado, surgiam métodos que davam mais ênfase a desbloquear os reais traumas ou bloqueios de cada consulente, estes métodos não se limitavam a olhar o futuro, mas sim a fazer as perguntas certas para que a pessoa à sua frente seja capaz de redesenhar o seu futuro.

Esta variedade de métodos e olhares sobre o tarot levou-me a investigar cada vez mais. Estudei técnicas distintas e desenhei muitos dos sentimentos e questões que me iam surgindo ao longo das leituras, tudo para ir aprofundando e consolidando a minha ideia pessoal sobre cada arquétipo. A minha conclusão final não existe ainda, este é sempre um campo em evolução mas uma coisa consegui retirar como certa: para mim o tarot é uma ferramenta para me dar mais perguntas sobre meu dia-a-dia! Isso mesmo, mais perguntas, como se fosse uma conversa interna, “vou ali tomar um café comigo e com as cartas, volto já“.

Este foi o mote que me levou a começar a esboçar estes arcanos maiores, os arquétipos principais de onde tudo vai derivando. Estava a tomar café e a pensar na viagem que cada carta me transmite, quando os desenhos começaram a acontecer. Desenhos para um “tarot de bolso” por ser em formato reduzido mas também por ser muito esquemático, com simbologias simples e depuradas para que a “conversa” aconteça de forma rápida, como uma conversa de café.

Tarot de bolso - atlas do ser o tarot para o dia a dia simplificado e simbólico

Curioso/a? Deixa o teu comentário, uma questão ou apenas uma palavra que eu vou aquecendo o café e preparando os biscoitos!

Calcula a o teu código numerológico

Calcula a o teu código numerológico

Calcular a nossa código básico numerológico é algo simples e divertido, que pode inclusive desbloquear algumas questões de conhecimento pessoal. Sem complicar, usa a tua intuição na construção do teu próprio mapa e brinca com os possíveis significados e todas as suas possibilidades. Neste esquema básico tens as ferramentas para saber o número da tua personalidade, da tua necessidade de alma, e do teu caminho de vida. Sendo que nenhum destes conjuntos de números indicadores, o ser humano é composto sempre por imensas camadas, e há diversas formas de viver cada um dos números. Entende como entras em contacto aquilo que te é natural, assim como aquilo que te é desafiante!

Começamos pela personalidade. Este primeiro número é o mais simples de calcular na realidade, e ele representa precisamente a “camada” mais simples das pessoas entenderem da nossa personalidade. Ele não expressa os nossos traços mais profundos, mas sim aquilo que todos os outros facilmente vêm em nós. Ele é composto apenas pelo número do dia de aniversário, reduzido a um digito, ficando com um número de 1 a 9.

  • Exemplos:
    • 12/03/1987 = personalidade 3 (1+2)
    • 01/11/2011 = personalidade 1
    • 19/05/1935 = personalidade 1 (1+9=10=1)

Logo de seguida teremos o número referente à necessidade de alma. Este número irá representar algo que para ti não é natural, mas que está a ser adquirido nesta vida. Não sendo algo natural, poderá ser mais desafiante, mas o que é certo é que quanto mais próximo estiveres dele, mais completo também te sentirás. Por norma esta necessidade mostra aquela actividade ou momento em que entramos em pura felicidade por ter conseguido atingir algo. Para o calculares basta somar o número anterior, da personalidade, com a redução do número do mês em que nasceste, ficando novamente com um número de 1 a 9.

  • Exemplos:
    • 12/03/1987 = personalidade 3 (1+2) – necessidade 6 ((1+2)+3)
    • 01/11/2011 = personalidade 1 – necessidade 3 (1+(1+1))
    • 19/05/1935 = personalidade 1 (1+9=10=1) – necessidade 6 ((1+9)+5)

Finalmente temos o nosso caminho de vida. Uma descrição que faz qualquer um tremer, mas não há que temer ou ficar ansioso por saber qual é, como já disse anteriormente, é indicativo apenas, e há diversas formas saudáveis de viver cada destino, cada vibração, cada número. Este vem representar a nossa meta a longo prazo, de forma ampla e até abstrata, ele vem mostrar para que vibração caminhamos nesta vida. Podemos calcular este número somando a totalidade dos números anteriores, mais o valor do ano de nascimento. Este é o único conjunto que deixamos que tenha dois dígitos em casos muito particulares, os números mestres, 11, 22, 33, 44 … mais à frente veremos o que querem indicar.

  • Exemplos:
    • 12/03/1987 = personalidade 3 (1+2) – necessidade 6 ((1+2)+3) – caminho de vida 2 (((1+2)+3)+1+9+8+7)
    • 01/11/2011 = personalidade 1 – necessidade 3 (1+(1+1)) – caminho de vida 7 ((1+(1+1))+2+1+1)
    • 19/05/1935 = personalidade 1 (1+9=10=1) – necessidade 6 ((1+9)+5) – caminho de vida 7 (((1+9)+5)+1+9+3+5)

Após fazer toda a matemática, é importante deixar que a nossa intuição e imaginação fluam. Não se fechem em livros ou opiniões. como sentem um 3? o que é algo com 3 apoios? ou como se desenha um 8 para vocês?

Deixarei aqui pequenas dicas, mas são mesmo indicadores simples, é importante que sintas dentro de ti a vibração de cada número.

1 – aquele que desce do céu para ser iniciado (trabalha o nascimento, a acção, o ego, a intuição)
2 – aquele que ama o próximo (trabalha as ligações, o amor, a empatia, o karma)
3 – aquele que comunica a sua verdade (trabalha a criatividade, a expressão, o equilíbrio, a ligação à obra divina)
4 – aquele que cria raízes sólidas (trabalho o trabalho, a casa, o valor da matéria, a segurança)
5 – aquele que expande conceitos e consciências (trabalha a rotura, o confronto, o questionamento)
6 – aquele que harmoniza naturalmente (trabalha a cura, a beleza, o entendimento, o fluir natural)
7 – aquele que questiona o seu universo (trabalha o estudo, a interiorização, o pensamento, o mestre em nós)
8 – aquele que assume (trabalha o dinheiro, a conquista, o poder pessoal, a afirmação)
9 – aquele que transcende (trabalha a elevação, a desmaterialização, o desapego, o ser universal)

Para entender melhor os números mestres:

11 O Visionário – Palavras-chave: visão, intuição, atenção aos detalhes, clarividência, colaboração.
22 O Construtor – Palavras-chave: trabalho, construção, otimismo, poder.
33 O Líder – Palavras-chave: idealismo, comando, harmonia.
44 O Eficiente – Palavras-chave: solução para os problemas, facilidade de expressão, poder.
55 O Canalizador – Palavras-chave: inovação, encaminhamento para o futuro, poderes de cura.
66 O Amor Incondicional – Palavras-chave: amor incondicional, expressão, transcendência.
77 O Especialista – Palavras-chave: discernimento, sabedoria, triunfo, especialização.
88 O Perfeccionista – Palavras-chave: perfeição, análise, coragem, contribuição social.
99 O Humanitário – Palavras-chave: altruísmo, despojamento, visão engrandecedora da vida.

Entendamos também que isto é a ponta do iceberg, há muitas formas depois de chegar a outras conclusões. Brinca e explora cada um dos números à tua imagem, de acordo com aquilo que sentes ser correcto.

Para explorares mais sobre cada número visita o artigo atlasdoser.com/2018/06/04/viagem-numerica/

Sincronário Maya – Um novo olhar sobre os ciclos naturais

Sincronário Maya – Um novo olhar sobre os ciclos naturais

O sincronário Maya foi sempre algo que chamou por mim, como se nenhum dos seus símbolos fosse na realidade novo, e por esse motivo este ano foi o ano de conhecer em maior profundidade este sincronário.

Este sistema está regulado intimamente com todos os ciclos naturais, tanto o solar como o lunar, e esta mistura garante influências muito concretas ao longo dos nossos dias. Acredito que tudo se encontra ligado de formas mais ou menos visíveis e por isso o nosso corpo é na realidade parte integrante de uma série de linhas de forças universais. A cada década que passa estamos a caminhar para um conhecimento mais holístico e mais universal, e aos poucos vamos chegando às respostas cientificas para todos estes fenómenos, até lá vamos ficando atentos através das técnicas dos nossos antepassados.

É fantástico entender a forma natural e cíclica como tudo se vai desenrolando, em forma de ondas universais, todo o universo vai reverberando em nós e no nosso meio ambiente. O sincronário é apenas uma forma de entender o universo, pois colado lado a lado com outros sistemas, todos temos formas diferentes de ver os mesmos fenómenos.

Entender as alterações à nossa volta, é também entender as nossas próprias flutuações, e começamos a aprender a navegar cada uma destas ondas. Cada vez mais entendo que não somos “um signo”, somos um ser que surge numa determinada vibração estanque, e que portanto somos seres que chegam para navegar esta onda cósmica, mesmo que com mais ou menos consciência do processo evolutivo a longo prazo.

Não posso deixar escapar também o facto de estar a escrever este texto dias antes do “dia fora do tempo“, 25 julho, o dia em que o calendário termina e começa. Um dia para estar em equilíbrio e comunhão com tudo e com todos, como um só. Mais do que fazer planos para o ano seguinte, é um bom dia para entender qual é o nosso papel diferenciador no mundo que nos rodeia.

E contigo, que ferramenta comunica naturalmente com a tua alma?

Jornada Numerológica

Jornada Numerológica

Existem vários estudos numerológicos que te podem dar várias indicações úteis, para a interpretação de esquemas numéricos, como a data de nascimento, as horas dos acontecimentos ou nomes. Muitos dos baralhos de Tarot ou Oráculos têm como base uma análise numerológica, e decifrar esta estrutura base vai ajudar-te a entender melhor outras ferramentas.

Ao longo da minha aprendizagem, entendi que grande parte deste conhecimento está armazenado na nossa memória colectiva inconsciente, só precisamos de alguns “gatilhos” para a activar. Esta é a minha forma de expor algumas linhas indicadoras daquilo que é o meu método base. Sendo que isto é apenas um pequeno resumo, as deduções mais profundas ficam para cada um fazer, conforme as sua próprias situações e vivências. Sendo que é bom questionarem os próprios métodos e acrescentarem mais camadas a este tipo de informação e esquema.

jornada numerológica

Vamos começar por dividir desde já os números pelo seu elemento base, que intuitivamente qualquer um consegue indicar características:

Fogo (1,9), o movimento, o elemento que representa vibrações muito dinâmicas, que precisas de ver tudo mexer à sua volta. Também são os números que nos vêm falar de novos caminhos, e nos aproximam com o princípio e o fim das nossas jornadas internas.

Água (2,6), o sentimento, o elemento que liga as almas, que se emociona, que cuida de si e dos outros. Naturalmente mais apaziguador que o anterior fogo, este vem para sanar e tranquilizar. É por excelência a vibração do amor e da comunhão.

Ar (3,7), a consciência, o elemento do intelecto, aquele que vem para comunicar a verdade universal. Neste elemento vamos encontrar tudo o que está ligado à expressão verbal, a criatividade e destreza mental. A vibração dos que questionam o mundo.

Terra (4,8), a estrutura, a base firme que nos suporta a vida. Um elemento de ciclos lentos e contemplativos, onde vamos sempre olhar para a nossa estrutura financeira ou profissional. O seu cunho à matéria garante que com estes números vamos sempre trabalhar questões de poder pessoal, autoridade e firmeza na nossa postura.

Éter (5), a diferenciação, aquele que rompe com todos os outros. O estado etérico é aquele que coloca um pé fora daquilo que assumimos ser a realidade sensorial. Abre os sentidos e vê para lá da matéria, entrando em choque. É um número de rotura e reconsideração. Uma busca que pode ser interna ou social.

Com estas notas já é possível entender um pouco melhor cada número, sendo que a sua sequência mostrará a evolução destes mesmo estados de alma.

Esta jornada começa no número 1, o nascimento, regido pela energia do elemento fogo, ele vem para criar. A vibração que abre caminho no meio da selva do dia-a-dia garantindo foco e determinação. Ele “acabou de nascer” por isso a sua intuição ainda está muito perto da Fonte, regendo todos os seus movimentos por impulsos intuitivos.

Logo após um número tão activo, temos o principio da união. Com o número 2 tudo abranda e começamos a contemplar os outros. A vibração por excelência do amor, da comunhão e da emoção. Ela garante uma vivência que se expande para lá do nosso ego e toca em compaixão quem nos está próximo. O momento de sentir o mundo à nossa volta.

Após ter experimentado viver para os nossos impulsos (na vibração 1) e ter parado para sentir (na vibração 2), o número 3 vem ensinar a ter uma maior consciência sobre a acção, onde impulso e emoção se unem para um equilíbrio consciente. Esta maior sensibilidade permite uma visão abrangente das situações e mais holística. Também desperta a criatividade nas soluções dos desafios da vida e procura uma comunicação e expressão daquilo que é claro e objectivo.

Já na vibração 4 começamos a nossa aproximação à terra, depois de nascer lá no topo do circulo, fomos descendo e agora estamos a experimentar a matéria. É uma vibração do plano físico, dos bens que nos rodeiam, da segurança e estabilidade financeira e a materialização daquilo que antes apenas pairava no plano mental.

Chegando ao número 5 é altura de analisar de forma crítica tudo. Símbolo de rotura e uma constante insatisfação com aquilo que é a normativo. Esta é uma vibração extremamente diferenciada pela singularidade por isso qualquer coisa criada para alimentar multidões será um choque para quem que vibra neste estado de alma. É o impulso que nos aproxima da nossa verdade interna.

Depois da tempestade, chega a bonança, com o número 6. A nova forma de sentir o mundo, é o número que nos leva a amar não só o próximo como o mundo inteiro, aceitando todas as suas diferenças. Expressão de cura e pacificação, sempre de forma natural e justa para com todos os envolvidos.

Chegando ao número 7, regressamos a uma vibração Ar, pegamos nesta bagagem toda e começamos a traçar planos mais objectivos para a busca da fonte. É uma vibração muito virada para a nossa autoanálise, sendo a vibração dos eternos pensadores e filósofos. O 7 garante pouca acção e muita dissertação, mas sempre que a acção acontece ela é direccionada e certeira, pois todo o conhecimento empírico já foi tão estudado, que já faz parte das nossas entranhas.

E chegamos ao último número que fala da matéria, antes de cruzar novamente a linha para plano astral. É a vibração 8, a vibração do poder pessoal por excelência, do controlo da matéria e também do seu fim. Nesta vibração tanto podemos estar a colher frutos de trabalho, como podemos estar a vivenciar todas as limitações que o plano material tem. É o último estado de alma para viver o plano material.

Finalmente o fogo etérico do 9, número de transcendência e elevação. Nesta vibração estamos a caminhar para a união final, com passos firmes regidos pela nossa intuição forte, somos encaminhados a abraçar o universo como um grande Todo. O desapego e a renuncia à matéria pode ser tema importante nesta vibração, assim como o fecho de todos os ciclos sociais e profissionais que já não fluem com aquilo que é a nossa verdade.

Tudo isto para encontrar de novo a unidade, e voltar a nascer no 1. No esquema foi representado o 10 como sendo a fonte, e poderia estar apenas o zero, ou até nem ter nada, mas sendo que nunca é tido em conta o vazio do zero, achei que seria mais perceptível o 10 como o regresso, o fim e o início. Agora caberá a cada um de nós escolher fluir entre este vários estados de alma, ou lutar contra eles.

 

Entra em contacto e partilha o que faz ou não sentido para ti *

Até já.

Limpeza energética

Limpeza energética

Limpeza, uma palavra que move ultimamente multidões, contudo é uma palavra que me tem causado algum desconforto quando a ouço.

Nem todos precisamos de limpezas energéticas sempre que algo “menos bom” acontece, pois tantas vezes nós próprios, com as nossas atitudes e ciclos, estamos a atrair pessoas, vibrações e situações negativas. Sempre vi as coisas neste prisma, tudo chega por alguma razão, e por mais limpezas que faça, se não cuidar do padrão base, vou voltar a atrair outros futuros “ataques”.

Se sentes que há algo em ti que não reconheces, procura ajuda, mas isso não significa não fazer nada. As terapias de autoconhecimento são uma cana, depois da consulta terás que pescar no mundo real.

Comigo hoje a limpeza aconteceu de forma muito particular, perdi acesso à minha página de Facebook. Terrível? Não… Mas entendi o tamanho do foco que eu estava a colocar na divulgação, enquanto noutra altura eu estaria realmente disponível para interagir com as pessoas. Não há nada como o contacto humano!

Os meus momentos terapêuticos são feitos desse mesmo contacto humano, dar tempo a ouvir, partilhar, escutar. E onde estava esse foco, se a minha energia estava dispersa nos meios digitais?

De volta ao tradicional blog! Agora com mais ação, prometo (a mim mesmo), pois acredito que sempre que partilho digo algo a mim mesmo. Ao eu que escreve e lê de novo, como ao Eu do futuro que lê daqui por uns anos…

Até já.