Portais de Alma

Portais de Alma

A jornada de descoberta pessoal e aprendizagem tem sido intensa e emocionante! Nos últimos tempos tenho sentido uma forte força que me leva a dar vida a Portais de Alma. É nesse sentido que escrevo hoje para ti.

Já estou muito habituado a ver, descrever e até pintar alguns símbolos de energia angélica durante meditações e consultas individuais, mas com o continuar do meu trabalho houve cada vez mais a necessidade de passar para a matéria alguns destes símbolos.

No princípio tudo estava um pouco confuso, entre aquilo que eram imagens e símbolos gerais, para utilizar por exemplo no baralho que estou a criar ou mesmo noutros desenhos. Estes signos em particular eram diferentes, mais pessoais e até íntimos. Cada um destes portais é sentido e desenhado para cada pessoa e para cada propósito actual, eles nunca devem ser transmitidos a terceiros.

No plano físico, a materialização destes canais de energia reforçam o trabalho que já fazes em meditação de forma “menos física”. São folhas carregadas de intenção e força, não só pessoal como dos teus guias, como se fosse uma âncora para a nossa transformação e abertura. A linguagem é simples, formas e cores simples e directas, pois nestes Portais não há muito espaço para o embelezamento e floreado, eles são ferramentas e não quadros para ter no quarto.

Cada meditação é indicada durante a leitura pois diferentes propósitos implicam diferentes formas de trabalhar energia. Durante a minha leitura e acesso à energia do Portal, chegam todas as diretrizes para que consigas, de forma autónoma, utilizar o teu Portal. Cada Portal tem por este motivo uma pequena carta, um texto que fala um pouco daquilo que me foi passado e todas as indicações para que mesmo sozinho/a estejas a realizar tudo em segurança.

Se sentires que esta pode ser uma ferramenta para o teu processo de meditação, entra em contacto e conta um pouco daquilo que está a ser o teu processo neste momento.

Nunca te esqueças que os signos mais simples, escondem as maiores chaves pessoais.

Celebrar os duendes!

Celebrar os duendes!

Hoje é comemorado o dia do duende, para quem me conhece bem, sabe que não ligo muito a este tipo de dias. A vida deve ser celebrada a qualquer momento e não com datas fixas de calendário. Ainda que não siga estas datas, achei uma boa desculpa para falar nestes belos seres encantados.

Os duendes existem nas brisas e suspiros da natureza.
Quando fechas os olhos e continuas a sentir o brilho de cada flor.

Penso em fadas e duendes desde muito novo, de quando o tempo parava porque ficava a observar as árvores ou as plantas. Há um brilho e uma brisa sempre presente nestas memórias. Por vezes a idade adulta vai fazendo com que esta subtileza se vá perdendo com o tempo.

Em pequeno lembro-me de observar com especial atenção algumas flores, traziam com elas uma sensação de casa e de conforto para outros seres. Hoje, já com uma consciência diferente sobre o tema, acredito nestes seres como extensões da energia e vibração das plantas e da natureza em geral. Se uma planta ou uma rocha tem determinado papel a desempenhar, haverá por perto presenças subtis a acompanhar! Como os pequenos ajudantes da Mãe Natureza.

Os duendes só se deixam observar a quem permite tempo e espaço à observação atenta da natureza. Tornando-se mensageiros de cooperação e fluidez, pois tudo no universo tem um fluxo e uma correspondência. Mesmo que não vejas é possível sentir a sua presença.

Abstrai-te do tempo e das obrigações. Observa uma flor ou uma árvore. Observa até que consigas sentir que estão a começar a conversar uma mesma língua. Permite que ela se mostre para lá do corpo físico que aparenta ter… Serás capaz de ver todos os seres que a habitam.

Admito que para mim nem sempre é fácil distinguir os elementais das plantas dos outros seres que habitam por perto e a ajudam. Os elementais são vibrações mais fixas face à espécie em questão, não só são expressão de uma planta mas por vezes de conjuntos. Já os duendes e fadas são seres mais pontuais, com uma personalidade e consciência mais individual e por isso estão presentes em locais e plantas específicos. Por vezes nem sempre é fácil chegar ao ponto de distinção destas várias formas diferentes de existir, mas com um contacto frequente vai sendo mais simples.

E tu, como observas estes seres mágicos?!

Comprar e escolher baralhos de tarot

Comprar e escolher baralhos de tarot

Escrevo de forma muito suspeita esta publicação, pois tenho vários baralhos e a colecção está sempre a aumentar. Compro essencialmente por sentir uma afinidade enorme pelas várias formas de expressar mensagens similares. Cada autor vai usar símbolos e referências distintas, sendo assim bastante enriquecedor ver e analisar vários baralhos.

Escolher o primeiro baralho! É sempre um “momento importante”, sem dúvida, e vais ouvir muitas vezes “é o baralho que te escolhe a ti”. Acredito que há uma percentagem de magia nesta primeira escolha, irás ser encaminhad@ a um baralho, sem saber bem o motivo, mas se a escolha for mais consciente, aconselho a que escolhas os mais clássicos. Tanto o Rider-waite como o Marseille são boas opções pois vais encontrar diversos livros que os usam estes dois como referência para explicar tiragens e significados, tornando mais simples estudar cada um deles.

A escolha do primeiro baralho deve ser a mistura de uma simbologia clara e clássica com aquilo que a tua alma pede. O meu primeiro baralho foi o Fey Tarot, repleto de fadas e seres encantados, algo que sempre esteve presente no meu crescimento. Lembro-me de passar horas a desenhar à vista as imagens das cartas, para as entender melhor, para entrar em cada uma como um portal.

Pegando nesta última deixa, aqui ficam também algumas dicas para criar ligação com novos baralhos!

  • Limpa – a limpeza dos baralhos não é algo que a meu ver seja extremamente necessário, ou que precise de um ritual muito específico. Acredito que sendo um baralho novo, a sua energia é também bastante virgem. O acto de limpar e cuidar do baralho vai abrir as portas a ligação entre ti e as cartas. Prepara um ritual que te faça sentido para dar início a este processo. A limpeza poderá ser feita com incenso, cristais ou através de reiki por exemplo.
  • Medita – mais do que apenas limpar, a meu ver, é muito importante energizar e ancorar a nossa própria energia nas cartas. Medita com o teu baralho. Recomendo algo simples como fechar os olhos e simplesmente sentir o baralho nas mãos. Entende com a tua sensibilidade até onde podem ir juntos.
  • Observa – os símbolos escondem-se dentro de cada carta como se ela fosse um portal, para ver essas chaves visuais é necessário observar com extrema atenção. Reserva tempo para observa cada carta. Escreve, se for necessário, algumas notas pessoais sobre algumas das cartas.
  • Tempo – de modo a “falarem a mesma língua” é necessário algum tempo, para que ambos se entendam. Leva o baralho contigo ao longo do dia, tira uma carta de vez em quando, por exemplo. Começa por tirar apenas uma carta, sem perguntar nada, só para te ires habituando às imagens e à energia que elas transportam.
  • Perguntas – começa por perguntas curtas, coisas simples, ou apenas a pedir uma orientação diária. Ajuda caso gostes de escrever um “diário”, ir registando algumas mensagens deste baralho em particular.

Existe sempre espaço para novos baralhos! Eu gosto muito de colecionar baralhos porque adoro as variedades estéticas de cada um, mas para trabalhar com eles, utilizando-os em consulta, há outras particularidades. Consulta alguns baralhos e entende como alguns vão dar respostas ligeiramente diferentes. Uns podem falar mais sobre os contextos físicos/práticos, uns têm respostas muito assertivas, ou outros podem levantar questões de auto-conhecimento mais gerais ou até holísticas. Todas as variáveis são válidas! O trabalho de auto observação vai sempre acontecer, só muda a envolvência e deves encontrar aquela que mais se adequa a ti.

Uma questão que também me perguntam bastante é, “devemos comprar baralhos em segunda mão?“. Sim, eu não vejo mal nenhum, desde que as cartas não estejam demasiado utilizadas. Muita gente comprou baralhos que estão parados, simplesmente porque não sentem muita afinidade com o baralho e por isso ele está sem uso. Claro que aqui é bom reforçar aqueles pontos de limpeza e meditação com o baralho! Tendo esse cuidado acrescido considero que é, no meu entender, uma opção válida!

Nota sobre os oráculos! Os baralhos de oráculos não seguem as estruturas de um tarot, os seus arcanos ou símbolos, sendo estruturas livres é bom que venham acompanhados de livros ou que sejam de uso fácil e intuitivo. Por norma utilizo como simples orientadores genéricos, raramente lhes faço perguntas diretas, apenas tiro uma carta. Ainda que a sua utilização seja diferente é possível fazer os mesmos passos de meditação, observação e limpeza, como também é possível utilizar estes baralhos em consultas, com tiragens mais elaboradas.

Mais do que simples cartas o tarot é uma viagem na observação interna, trata-o com o devido respeito e a diversão necessária!

Energia Angélica

Energia Angélica

Nunca pensei escrever sobre a presença de forças de ordem Angélica na minha vida. Durante anos o conceito foi demasiado intangível para que conseguisse compreender, envolto em demasiadas referências distintas e que não se coadunavam comigo.

Cresci a ouvir falar de forma recorrente sobre anjos e quando estás perante opiniões de algo que não é material tendes a absorver sem opinar muito, recolhendo o máximo de opiniões e significados para o tema. Foi bastante comum ouvir pessoas falar sobre estas entidades que eram crentes cegos, pessoas que tentam não elaborar questões sobre aquilo que lhes foi passado, apenas debitam a mesma informam, por vezes de forma ainda menos complexa e menos fundamentada, face ao que lhes foi passado. De um ponto de vista popular, há uma forte imagem criada de que os anjos são as figuras de gesso a quem se pede de tudo, com direito a uma miriade de opções, funções ou temáticas, sendo que isso para mim eram apenas monólogos, eram apenas pedidos egoístas sem pedir por entender melhor os seus desafios.

Vou repetir-me, mas reforçando que este é um tema abstratro e intangível é muito complicado gerar uma opinião muito particular sem sentir ou viver algo de profundo com este tipo de energia.

Quando iniciei o meu caminho na espiritualidade comecei a ter alguns acasos curiosos ligados a este tipo de energia, pessoas que falavam em estar acompanhadas, visualizações relacionadas a algum anjo ou arcanjo em meditações, uma série de pequenas coisas que com o tempo me foram aproximando desta energia que nos circula.

Nota pessoal: comecei a escrever o texto referindo-me ao tema como “força superior” mas editei pois a palavra “força” tem um caris muito impositivo e tudo o que vivi foi suave e orientador, nunca imposto ou forçado. Também a palavra “superior” não me pareceu ser a mais correcta visto que eu senti sempre a sua acção perto de todos nós, ao nosso lado literalmente, os anjos e arcanjos podem ter uma visão superior mas estão connosco e devem (a meu ver) ser olhados como próximos e não como distantes, sem lhes retirar o devido estatuto

Ainda continua a ser complexo explicar como é que eu “vejo” ou sinto a presença de anjos e arcanjos, é tão éterea como é concreta, de forma intuitiva e muitas vezes com muito pouca “imagem” para eu poder explicar “está aqui um arcanjo consigo!”.

Sei que há diversas energias ou vibrações que vão mantendo o caos harmónico em que vivemos e essas energias não são apenas angélicas, existem várias e chegam representadas de formas muito diferentes. A energia angélica representa para mim uma orientação, uma intuição fora do normal que traz certeza e empoderamento a todos os que entram em contacto com ela.

Não foi simples para mim falar sobre este tema devido à forma como determinadas pessoas a viveram no passado. Mas hoje eu acredito numa vibração angélica que apesar de ser difícil de exprimir em palavras eu sei identificar que está por perto, a orientar, a cuidar e a sanar de forma a criar equilíbrio no cosmos naturalmente caótico. Eles não chegam para pedirmos milagres infundados, mas para orientar a nossa vida quando a intuição natural não está a ser escutada ou entendida.

Navegar sem luz guia – Eclipses de 2020

Navegar sem luz guia – Eclipses de 2020

Podemos olhar sem ver, observar de forma leve o impacto do Sol e da Lua sobre os nossos dias, mas não podemos negar esta influência celeste sobre nós. A forma como o Sol nos permite ver mais além, ele que aquece o corpo e dá esperança à alma, ou como a Lua incha os corpos e eleva as emoções. A cada eclipse estes pontos orientadores desaparecem dos céus, há uma bússola interna que perde o norte.

A Lua cria os ciclos das águas, remexendo os lagos emocionais e resgatando as memórias esquecidas. Ela é a o sonho e a promessa de que o Sol amanhã voltará a brilhar. Com a lua a iluminar a noite decidimos caminhar no medo e no escuro, pois sabemos que o luar nos guiará de forma intuitiva.

Quando o Sol nasce no horizonte traz consigo a visão longínqua, e a perspectiva daquilo que está distante e no futuro. Ele é o brilho primordial que permite a clareza da mente e da razão. Aquele que não deixa nada por expor.

Durante qualquer eclipse estamos a ser expostos à falta de orientação no céu, tanto diurno como nocturno, vivendo momentos mais tensos ou confusos. Cada eclipse é sentido de forma diferente, consoante o signo onde está e aquilo que desperta em ti, mas o ponto comum é estar a navegar sem norte.

Durante os eclipses lunares é frequente que a dúvida ou a tensão seja mais relacionada com as emoções, as memórias passadas ou coisas que nos apaixonam e que nos fazem sonhar. Já nos eclipses solares os questionamentos vão de encontro com objectivos concretos de vida, projectos futuros, exposição e afirmação.

Tenta viver suavemente estes períodos, sabendo que não só tu mas todos estão mais sensíveis em determinados pontos. Aproveita para observar mais e agir um pouco menos de modo a reparar que padrões estão a emergir. Os maiores desafios vão ser sinais claros daquelas que são as tuas áreas mais frágeis, o que poderá ser uma benção se quiseres realmente melhorar esses aspectos na tua vida.

Anota as datas dos eclipses destes ano, (que vão ser bastantes!) pois eles vão forçar muitas mudanças internas e externas em nós e na sociedade. Sem medos vamos abraçar cada mudança e não tenho dúvidas que será um ano repleto de boas novidades.

  • 10-01-20 – eclipse lunar – em Caranguejo
  • 05-06-20 – eclipse lunar – em Sagitário
  • 21-06-20 – eclipse solar – em Caranguejo
  • 05-07-20 – eclipse lunar – em Capricórnio
  • 30-11-20 – eclipse lunar – em Gêmeos
  • 14-12-20 – eclipse solar – em Sagitário